cristo

1 2 3 4

[Resenha] No Mundo da Luna - Carina Rissi

Título: No Mundo da Luna
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 476
Classificação:  (Favorito)
Sinopse: A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome.
Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção?
Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.
Com seu estilo ágil e fluido, Carina Rissi criou em No mundo da Luna uma leitura viciante, permeada de humor, magia e paixão, que vai conquistar você do início ao fim.

A Resenha


Luna é um jornalista recém formada que está entrando no mundo adulto, e digamos que...ela não tem bem o trabalho dos sonhos. Ela é apenas a secretária de uma revista que tenta erguer-se novamente e odeia o chefe por chamá-la sempre pelo nome errado. E ainda mais: seu namorado a traiu e vai se casar.
Mas uma reviravolta começa em sua vida quando a jornalista que cobria o horoscopo semanal vai para outra revista concorrente e ela é escolhida para cobrir a coluna. Ela aceita, mesmo sem saber nada sobre astrologia, um desgosto para sua vó, que é cigana.

"Sempre rezei para que seu coração aceitasse quem você realmente é" (Vó Cecilia)

Então, em um não tão belo dia, Luna leva um bolo do seu pretendente a namorico e encontra Dante, seu chefe chato com gravatas engraçadas e nerds, que acabara de ser chutado pela namorada e juntos, eles afogam suas mágoas na bebida. A partir daí, o que Luna não esperava era sentir-se atraída por ele. Ela tenta negar, esperneia, chuta o vento, mas é inevitável: o destino traçou para que ficassem juntos.

[Resenha] Apaixonada por Histórias - Paula Pimenta


Título: Apaixonada por histórias
Autora: Paula Pimenta
Editora: Gutenberg
Páginas: 175
Classificação: 
Sinopse: Paula Pimenta é conhecida e amada por milhares de fãs por seus romances juvenis, mas um dos primeiros gêneros nos quais se aventurou em sua carreira literária foi a crônica, que escrevia e publicava em sites literários. Em 2012, lançou seu primeiro livro nesse estilo, Apaixonada por palavras, pela Editora Gutenberg. Seus leitores gostaram tanto das 55 crônicas publicadas que pediram mais! Paula resolveu atender aos inúmeros pedidos lançando este novo livro, Apaixonada por histórias, que traz mais 55 crônicas. Como o título sugere, a autora desde pequena sempre teve enorme paixão por todos os tipos de narrativas, e, como maravilhosa contadora de histórias, narra várias situações que viveu em sua vida, e que inspiraram muitos de seus personagens e passagens de seus livros e séries.

Resenha



















Eu comprei o livro mais por impulso do que por vontade. Foi tipo: "Ah! Que livro lindo. Vou levar..."
(Sendo que minha intenção quando entrei na livraria era comprar 2 livros que eu havia lido no meu note e os queria na minha estante, heh)
No começo, me arrependi de tê-lo comprado porque achei que não iria gostar, já que eu nunca tinha lido um livro (revelação dam-dam-dam) desse estilo antes (embora, agora, eu já possa me considerar familiarizada com esse gênero maravilhoso). Mas como já conhecia a maravilhosa escrita da Paula, por causa do Livro das Princesas... Valeu a pena tentar.


[Review] Delete?

Baixe o jogo gratuitamente na GameJolt | Para Windows e Mac















Ah, GameJolt e seus tesouros! Como uma cavucadora nos dias desocupados, fui procurando com cautela os jogos indies que se adaptassem ao meu estilo e gosto, criando uma lista de desejados e projetos futuros para 'reviews' aqui no blog. Entre eles, estava 'Delete?'.
De início, confesso que não esperava muito do jogo - tanto que não o priorizei no primeiro instante, apesar da curiosa história. Pelo tamanho do arquivo, já estipulava que seria curto, uma pequena distração em um dia particularmente tedioso.
Ledo engano.

Quem eu sou? Por que eu me sinto tão... Vazio?

Ainda no menu, fui surpreendida com a premissa delicada de uma trilha sonora espetacular. Totalmente diferente do que eu imaginava para o jogo de terror e ficção científica descrito na sinopse – embora Ib, também um RPG de terror, tenha me mostrado que tal mistura é uma formula encantadora para o sucesso e diversão no jogo.


[Resenha] Carta de Amor aos Mortos - Ava Dellaira


Título: Carta de Amor aos Mortos
Autora: Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Classificação: ★★★★✰
Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

[Resenha] A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard

Título: A Rainha Vermelha #1
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 424
Classificação: ★★★★★
Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.


Resenha


Na escola, aprendemos sobre o mundo antes de nós, sobre anjos e deuses que viviam no céu e governavam a Terra com mãos ternas e gentis. Alguns dizem que não passam de histórias, mas não acredito nisso. Os deuses ainda governam. Ainda descem das estrelas. Só não são mais gentis.

O universo de A Rainha Vermelha se passa em Norta, um país monárquico em guerra com os vizinhos, com sua população dividida pelo sangue. Se você tem sangue vermelho (tamo tudo ferrado, gente), é fadado a ser um simples plebeu e se não tiver um emprego ou ser aprendiz até os 18 anos, é condenado a ir para a guerra, onde poucos voltam para a casa vivos... ou inteiros.
Se você tem sangue prateado, parabéns. Você faz parte de uma elite isenta de impostos e sem obrigação de ir ao exército, com um atributo a mais: de acordo com sua Casa e origem, você tem um poder. Ler mentes, hipnotizar, controlar metais, água, fogo, terra, ser forte, rápido ou se duplicar. Esse é o ponto central do livro, muito bem construído, por sinal.
Mare Barrow é uma vermelha e está a beira de completar 18 anos. Ela é apenas uma batedora de carteiras e como isso não é considerado um emprego, está condenada a ir para o exército. Seu melhor amigo, Kilorn, também está, depois que seu empregador morreu.
E então, para salvar a vida dos dois, ela topa arranjar dinheiro suficiente para fugir da cidade com o amigo, fugindo do recrutamento. Nesse meio tempo, ela acaba tentando roubar um prateado, que por sorte, não a denuncia. E ainda a ajuda. E em meio a todas essas reviravoltas, ela acaba por conseguir um emprego no palácio de verão do rei, onde ele dará a Prova Real, uma pequena "Seleção" em que as nobres prateadas exibem seus poderes e a mais poderosa se casará com o príncipe. Mas o que os prateados e nem Mare esperavam, era que em uma das provas, ela fosse sugada para um campo de força elétrico e sobrevivesse.

 Sinto o calor das faíscas subindo e descendo pelo meu corpo, incendiando cada nervo. A sensação não é ruim, porém. Na verdade, me sinto viva. Como se tivesse sido cega a vida inteira e agora pudesse enxergar. Alguma coisa se move sob minha pele, mas não são as faíscas.[...] Está tudo errado. Eu estou viva.

[Meu Elenco dos Sonhos] A Seleção - Parte I

Howdy!
Tudo bem com vocês?

Como vocês todos sabem, A Seleção (um dia) vai ter sua adaptação cinematográfica. Quando eu recebi a notícia, com muita alegria, resolvi que seria uma boa hora para mostrar meu dreamcast - vai que um dos produtores e gostassem da ideia (não custa sonhar)?
O primeiro foi no Instagram (já seguiu? É @talvezescritora), há muito tempo, e depois no blog. É claro que, por causa da reforma, o post foi posto como rascunho, mas eu fico feliz trazê-lo de volta para vocês! Afinal, o sonho continua!

Lembrando que: Aqui só tem personagens dos três livros iniciais da série, ok? (Okay)

C'mon?